sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Em Lisboa, sê lisboeta!

Sê Lisboeta, sê Lisbonense, sê Alfacinha, o que quiserem!!
E vão à Nacional!
Vão lá que não se arrependem!
Desde que me lembro, que ia lá todos os dias em que ficava na casa da minha bis-avó. 
Sim, bis-avó, leram bem! Pessoa que todos os dias tinha de se arranjar e sair de casa, nem que fosse para apanhar o autocarro (na época não havia cá o "7" antes do número de cada autocarro..) e ir à Baixa! Lembro-me que íamos à Lanalgo e que a minha bis-avó conhecia todas, ou quase todas, as funcionárias de cada piso, principalmente da parte de criança, adivinhem lá porquê.. 
Eu só me lembro do nome de uma funcionária, a senhora chamava-se Inácia e fazia parte desta secção, também me lembro que existiam outras funcionárias que ficavam deveras contentes por verem a minha bis-avó entrar secção adentro, saída do elevador, sem deixar de cumprimentar, claro, o senhor do elevador!
A minha bis-avó levava-me à Confeitaria Nacional a almoçar e/ou a lanchar e para mim aquilo era um mundo, de bolos claro! Lembro-me de que tínhamos de ficar à espera de mesa, lembro-me que havia de tudo e escolher algo era uma tarefa hercúlea! Tanto bolo, tanta variedade, tanto doce de ovo, tanto chocolate.. DE-US! Era o céu!
Então ao almoço não falhava, era a sopa do dia e a sandes de galinha com maionese. No meu caso era mais sandes de maionese com galinha. Este salão de chá fazia as coisas como deve de ser, eu é que pronto, mandava sempre a sandes para trás por achar que não tinha maionese suficiente. Havia uma funcionária que tinha uma paciência de santa mesmo, sempre que trazia a sandes, eu dizia que tinha pouca maionese e a sandes lá ia para trás e esta funcionária, cheia de paciência, lá levava a sandes e trazia momentos depois.. Não me lembro do nome, só me lembro da cara, e era muito querida mesmo.
Lembro-me dos palmiers cobertos! Mais nenhuma pastelaria conseguia a proeza de fazer um igual! E claro, depois havia os Indianos, os Garibaldis, os Xadrês e sem esquecer os Ratinhos (o nome original é Coelhos, mas para mim eram uns ratinhos fofinhos!), os Bolinhos de Gema, os Palitos La Reine, Rins de Chocolate, as Bolachas Húngaras..
E isto é só uma parte de tudo o que existe nesta confeitaria, ainda podia falar do tão afamado Bolo Rei, mas isso têm de perguntar a outra pessoa que aprecie este bolo de época, os quais esta confeitaria produz todos os dias do ano e que reza a história que são os melhores. Só me lembro do cheiro, e esse era muito agradável!
Então que ontem, feriado, lá fui, muni-me dos bolinhos e lá fui à minha vida, com a certeza de que em casa ia ter uma viagem ao passado através dos sabores!
Ora digam-me lá se estes bolos não têm um aspecto divino! Maravilhoso! 
E acreditem, sabem ainda melhor!