sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Era uma vez um amor à primeira vista!

Uma pessoa anda à procura de umas botas novas, umas botas que lhe encha as medidas, umas botas simples, umas botas diferentes de todas as outras a que uma pessoa vê no comboio quando está a caminho do trabalho ou a caminho de casa.
Uma pessoa tem um gosto refinado, uma pessoa não quer propriamente a bota da moda, que fica pelo tornozelo e tem um imenso tacão, ou a outra bota da moda de cano até à coxa estilo nobuk.
Uma pessoa quer o meio termo, mas o meio termo é algo que nesta altura do ano, no que diz respeito a botas, não abunda..
Uma pessoa sai do trabalho, vai a caminho da estação para "tomar o trem" e passa na sapataria de três andares, montra gigante e plena de botas para todos os gostos, feitios e que tais.
E lá está ela, aquela que pode vir a ser A BOTA! Antes que perguntem, sim, era só uma bota, uma bota azul escura, simples, normal, nem pelo tornozelo nem pela coxa, com umas tiras castanho camel na parte de trás, a bota meio termo que há eternidades que uma pessoa anda há procura - mentira, só desde Setembro..
Uma pessoa, depois de se apaixonar, entra na sapataria, dirige-se à funcionária com todo o entusiasmo "boa noite, tem aquela bota azul escura da montra no tamanho 38?" e a funcionária, com uma cara sorridente, ainda que fossem 22h20, pediu-me para mostrar concretamente "a bota" e depois de lhe  mostrar, a funcionária diz-me que aquela bota está na outra montra, no outro extremo da loja e que tinha de perguntar à funcionária que estava perto dessa montra..
Ora, posto isto, uma pessoa corre até à outra ponta da loja, mala, lancheira térmica e guarda-chuva atrás, numa corrida quase olímpica, para chegar à funcionária, sem derrubar qualquer torre de caixas de sapatos que vai encontrando pelo caminho, e eis que, com arte e engenho, alcança a dita funcionária.
E a mesma conversa se segue "boa noite, tem aquela bota azul escura da montra no tamanho 38?" a qual me responde que não sabe porque as botas em questão são da colecção de CRIANÇA(?!), que eu teria de descer ao piso inferior e falar com a funcionária que lá estava pois a funcionária com quem eu estaria a falar era "de cá de cima" e não sabia nada "de lá de baixo".
Ok, uma pessoa aceita, uma pessoa tem esperança, uma pessoa desce e vai falar com a "funcionária de lá de baixo".
Uma pessoa fala com a funcionária, a funcionária indica o local onde estão as botas, uma pessoa chega às botas com a fé no máximo..
E uma pessoa aproxima-se da pilha de caixas, anda lá a catrapiscar os tamanhos todos nas caixas vê que o tamanho maior é o 34!!!
Pronto, uma pessoa perde logo a fé, perde o ânimo, perde a vontade de competir nos próximos olímpicos na modalidade estafeta e barreiras, perde a vontade de comprar o que quer que seja e sai cabisbaixa da loja..
Até chegar à porta para sair uma pessoa é confrontada com as três funcionárias que encontrou pelo seu calvário a perguntar pelas botas..
Têm noção do que é atravessar a loja, descer e subir escadas para depois ter de repetir por três vezes a mesma ladainha? 
"Pois, lá estavam e lá ficaram, porque o tamanho maior é o 34, não dá para o meu pé, mas obrigada pela atenção, boa noite e bom trabalho."
E assim uma pessoa abandona a loja com um sorriso um pouco amarelado e o coração despedaçado..
Jovens, não acreditem no amor à primeira vista! Conheçam bem antes de se apaixonarem para evitarem males maiores!